Grande é a sorte de quem tem uma boa garrafa, um bom livro e um bom amigo. "Molière"

News

A London Wine Fair confirma as datas (18 a 20 de maio): “sem o ProWein precisamos de uma feira internacional”

A Itália para. Tudo. E se já o calendário de feiras de vinhos e alimentos, da Vinitaly (atualmente programado de 14 a 17 de junho em Verona) a Cibus (de 1 a 4 de setembro em Parma), passando por Macfrut (de 8 a 10 de setembro, em Rimini) e Identità Golose (de 3 a 5 de julho, em Milão), no Belpaese, tomaram nota e consciência do momento, existem aqueles, fora da Itália, em uma mistura de coragem e inconsciência , está determinado a se segurar e seguir em frente, apesar da emergência do Coronavírus, a essa altura, não é mais apenas o Belpaese.

Não é o caso da Düsseldorf Messe, que decidiu cancelar o ProWein 2020 (programado para 15 e 17 de março) renovando a nomeação para 2021, nem dos produtores da Borgonha que cancelaram os Grands Jours de Bourgogne (que deveria ter começado ontem e durar até 13 de março), mas também na França a Union des Grands Crus de Bordeaux não parece ter nenhuma intenção de renunciar à lendária Semaine des Primeurs, que vai de 30 de março a 2 de abril, assumindo que nada muda, apresentará aos meios de comunicação e compradores – ou melhor, aos que conseguirem participar – o milésimo 2019, bem como, na Grã-Bretanha, os organizadores da London Wine Fair são firmes na decisão de confirmar a feira de vinhos agendada de 18 a 20 de maio em Centro de Exposições Olympia.
Como Hannah Tovey, organizadora da London Wine Fair, explicou à revista britânica “The Drinks Business”, “levamos em conta tudo, desde a origem dos expositores e visitantes até a época, o que influenciou nossa decisão, com base também na situação atual: falta mais de dois meses, os riscos associados ao Covid-19 são mais baixos do que, por exemplo, os da ProWein. ” Além disso, o Olympia Exhibition Centre ainda não cancelou nenhum evento, incluindo os maiores da London Wine Fair, acrescenta Hannah Tovey: “acreditamos que a coisa certa a fazer é trabalhar para avançar, não há motivo para adotar uma abordagem diferente, e o governo prevê que o problema será amenizado com a melhoria da estação “.
Das três opções – vá em frente, adie ou cancele a feira – parece não haver dúvida. “Não temos intenção de cancelar a feira, principalmente em sua edição n. 40 – continua Hannah Tovey – também considerando o fato que 91% dos visitantes serem britânicos, apenas 9% podem ser afetados por um bloqueio do tráfego aéreo, no limite nossos expositores possam sofrer inconvenientes, , praticamente todos estrangeiros: nesse caso, os importadores se encarregarão de representar as marcas internacionais de vinho. Não é uma escolha precipitada – conclui Tovey -, mas se algo mudar, estaremos prontos, talvez com um adiamento no outono, porque o cancelamento do ProWein ainda torna indispensável uma feira internacional para o setor “.

Deixe uma resposta

Sou Um Sommelier apaixanodado pelo mundo do vinho, que quer compartilhar tudo sobre a enogastronomia.