Grande é a sorte de quem tem uma boa garrafa, um bom livro e um bom amigo. "Molière"

Vinho e seus Terroirs

Croácia e seus vinhos


A Croácia tem sido uma região com uma forte vocação vinicola desde os tempos antigos. A conformação geomorfológica do território croata presta-se perfeitamente ao plantio e cultivo da videira. A videira é cultivada na Croácia, tanto no interior montanhoso como no litoral: as numerosas variedades de videiras, das quais se obtêm mais de 900 qualidades de vinhos, que distribuem-se igualmente neste território. Os diferentes tipos de vinhos produzidos na Croácia abrangem uma vasta gama de perfumes e sabores, dos frescos e frutados aos mais persistentes e encorpados.

A história do vinho na Croácia

A viticultura na Croácia existiu centenas de anos antes do nascimento do Império Romano. Pode-se dizer que o verdadeiro início do cultivo de vinhas e produção de vinho na Croácia está ligado aos gregos, que chegaram à costa croata no século V A.C. Sob o Império Romano, a produção de vinho experimentou um crescimento significativo, enquanto se tornou mais organizada. Sacerdotes e monges continuaram produzindo vinho até o século XV, quando os turcos otomanos impuseram leis anti- álcool rígidas como parte da nova lei islâmica. As tradições da igreja católica que envolvem o vinho na liturgia salvaram a produção local de vinho da extinção completa, já que mesmo sob o império otomano foi permitido continuar produzindo vinho para serviços eclesiásticos. No século XVIII, a maior parte da Croácia ficou sob o controle da Áustria, onde a produção de vinho floresceu entre os séculos XIX e XX, até que em 1874 a filosera se espalhou por toda Europa e depois de alguns anos também atacou as videiras croatas. , levando à destruição de vinhas e ao colapso da economia local em muitas áreas. Sob o regime comunista iugoslavo, a produção de vinho era centrada em grandes cooperativas e a propriedade privada dos vinhedos era desencorajada, favorecendo a quantidade em detrimento da qualidade. A guerra do início dos anos 90 viu a destruição de muitas vinhas e caves mais uma vez. Mais recentemente, com o retorno de pequenos produtores independentes, os vinhos croatas estão mais uma vez competindo com o melhor mercado mundial de vinhos.

Após a adesão da Croácia à UE, a área geográfica da viticultura foi dividida em três regiões: a Croácia continental oriental, a Croácia continental ocidental e a Croácia costeira.

A Croácia continental oriental é subdividida nas sub-regiões do Danúbio Croata e da Eslavônia.
A Croácia continental ocidental é subdividida em sub-regiões: Moslavina, Prigorje-Bilogora, Zagorje, Medjimurje, Plesivica, Pokuplje.
A Croácia costeira é subdividida em sub-regiões: Ístria, Dalmácia do Norte, Sertão da Dalmácia, Dalmácia Central e Meridional.

As videiras cultivadas na Croácia

As variedades de uvas usadas na Croácia podem criar confusão em estrangeiros, não só por causa da língua, mas também porque muitas das variedades não podem ser usadas além de uma área muito limitada. Na Croácia, assim como na Itália, muitas variedades de uvas “internacionais” são cultivadas, mas especialmente nas áreas mais externas ou nas mais extremas condições de cultivo prevalecem as videiras nativas. Alguns destas, embora localmente bem conhecidas, permanecem relativamente desconhecidas fora do país. Uma delas é o Plavac Mali, cultivada na Dalmácia, que parece derivar do Primitivo-Zinfandel.

Risultati immagini per zone vinicole croazia

O vinho branco na Croácia representa cerca de dois terços da produção total. Em particular nas regiões do interior, apenas 10% da produção anual total é vinho tinto. O Grasevina (Riesling Italico) tem sido o preferido entre aqueles com uvas brancas, juntamente com Istrian Malvasia e variedades locais, como Bogdanuša (uma videira muito rústica e prolífica cujo nome significa “dom do céu”), Grk e Posip, Skrlet, Kraljevina, Rukatac e o poderoso Vugava (semelhante ao Viognier do Vale do Rhone). As castas brancas mais populares da Croácia são Chardonnay, Sauvignon, Pinot Grigio e Riesling Renano.

As uvas tintas mais cultivadas são uma mistura de variedades nativas e internacionais. O grupo anterior inclui o Terrano de Istria, é um exemplo, além do já visto Plavac Mali. Pinot noir, Cabernet Sauvignon e Merlot são as variedades internacionais mais comuns.

A classificação dos vinhos croatas


Recentemente, na Croácia, padrões semelhantes aos da Europa foram estabelecidos para garantir a qualidade do produto final. A categoria a que pertence deve estar claramente indicada no rótulo:

Vrhunsko Wine: Vinho de qualidade premium
Vinho Kvalitetno: vinho de qualidade
Stolno Wine: vinho de mesa

Além disso, os vinhos podem se beneficiar de uma denominação de origem geográfica, cuja definição se torna mais rigorosa para classificações de maior qualidade. Um vinho de qualidade premium com origem geográfica deve atender aos critérios disciplinares em termos de composição ampelográfica, área de produção e características físico-químicas e organolépticas. Se o vinho tiver o nome da vinha, deve conter pelo menos 85% do conteúdo da variedade indicada. Vinhos Vintage, “Arhiv”, devem passar por um período de amadurecinemto adicional, para um total de 5 anos após a colheita, dos quais pelo menos 3 anos na garrafa. Do ponto de vista do teor de açúcar residual, a classificação é:

Suho: seco
Polusuho: semi-seco
Slatko: doce

Espero que tenha gostato do artigo. abraço a todos so Wine lovers.

Fonte: https://www.quattrocalici.it/conoscere-il-vino/la-croazia/

Compartilhe

Deixe uma resposta

Sou Um Sommelier apaixanodado pelo mundo do vinho, que quer compartilhar tudo sobre a enogastronomia.