Itália continua líder mundial na produção de vinhos

Um brinde a um novo recorde: a Itália do vinho confirma seu papel como líder mundial na produção e consolida sua posição como exportador.

Aqui estão os números que fecham 2018: 55 milhões de hectolitros produzidos, um aumento de 29% em uma base anual, dos quais quase 20 milhões são vendidos no exterior. E ainda um valor de exportação de 6,2 bilhões, um aumento de 3,3% em 2018, mantendo a segunda etapa no pódio dos principais fornecedores mundiais, atrás da França. Quem Fotografou o setor é o Ismea, que destaca uma tendência de crescimento de 70% no valor das exportações de 2008 até o ano passado. Quem impulsionou as exportações do setor em 2018, Ismea especifica, foram os vinhos Dop, com aumento de 13% em volume e 12% em valor, frente a um recuo do IGP (-23% em quantidade e volume). -15% do volume de negócios) e menores volumes para os vinhos comuns (-22%).

Também em termos de consumo doméstico, os vinhos e especialmente os espumantes mostram uma tendência positiva; estavam entre os poucos produtos que mostraram um sinal de positivo decisivo no ano passado nas compras domésticas, com + 5,4% no que diz respeito às despesas com vinhos espumantes e + 4,6% para os vinhos tranquilos. Um ano extremamente positivo em que, no entanto, sublinha a análise do Instituto de Serviços para o Mercado Agrícola de Alimentos, pesa a perspectiva de um Brexit sem acordo. O Reino Unido, na verdade, é um mercado muito importante para o setor, especialmente para as vinícolas do Nordeste.Em acordo com a Ismea, com 336 milhões de euros e uma participação de mercado de 47%, prosecco e o espumante italiano minaram o Reino Unido enfraquecendo o Champanhe francês, ficando em primeiro lugar entre os espumantes comprados além do canal. Por outro lado, os vinhos tranquilos na Itália ocupam o segundo lugar entre os principais países fornecedores, mas neste caso a diferença entre sua participação de mercado e a de produtores não europeus, como Nova Zelândia, Chile e Austrália, é menos clara. e poderia alimentar um efeito de substituição. Mas sempre há tempo para escalar esse outro ranking.

Fonte:

http://cronachedigusto.it/archiviodal-05042011/325-scenari/27222-litalia-rimane-leader-mondiale-nella-produzione-di-vino-prodotti-55-milioni-di-ettolitri.html

Compartilhe

Deixe uma resposta