Home News Em 2020, apenas uma em cada 10 vinícolas italianas fechará o ano de forma positiva. Baixa nos canais de venda e no export

Em 2020, apenas uma em cada 10 vinícolas italianas fechará o ano de forma positiva. Baixa nos canais de venda e no export

0 comment

No mundo do vinho italiano, apenas uma em cada 10 empresas aumentará seu faturamento em 2020, enquanto que para mais de 7 em cada 10 as vendas totais ficarão negativas. Resulta do inquérito Vinitaly-Nomisma Wine Monitor Observatory apresentado hoje durante a Summit Internacional “O futuro do vinho: diferentes visões, uma perspectiva”, que abre o Wine2Wine Digital, a partir de hoje (até o dia 24 de novembro), em formato virtual . De acordo com a pesquisa, realizada em um painel de 165 empresas (faturamento acumulado de 4 bilhões de euros, dos quais 2,5 bilhões relativos a exportações, 40% do total da Itália), a dificuldade geral das empresas é a queda combinada de Canais Horeca (em vermelho em 91% dos casos), no retalho especializado (para 3 produtores em 4), exportação (para 63% das empresas) e venda directa na vinicola, cujo gap também é gerado pela contracção muito forte das chegadas de enoturismo estrangeiro, menos para 87% dos Para atuar como um contrapeso parcial, as vendas no grande varejo italiano (crescendo para 51% dos entrevistados) e o boom do online, positivo par 8 em cada 10 vinicola.
O quadro das exportações, embora a Itália tenha sofrido menos do que seus concorrentes, ainda é sombrio: 63% em vermelho, enquanto as empresas em crescimento são apenas 18%. Entre os dez mercados mais problemáticos, o Reino Unido e os Estados Unidos são as áreas mais críticas, com queda de 60% . Seguido por Japão, Austrália, China, Alemanha, Canadá, Rússia e Suíça, em um cenário global que vê 9 em cada 10 quadros negativos, com apenas a Suécia em território positivo.
Para o chefe do Vinitaly-Nomisma Wine Monitor, Denis Pantini, “a pandemia destacou ainda mais os problemas estruturais e dimensionais de que sofre o nosso sistema de produção. Com o fechamento do varejo e a menor diversificação de mercados e canais de venda, são sobretudo as vinícolas menores que pagam a conta mais pesada neste cenário de crise dominado pela incerteza. Uma coisa é certa, certamente não é mais leve nem para empresas de maior porte, mas que, por contar com estruturas comerciais, financeiras e de capital mais robusto, sem dúvida demonstra uma maior resiliência ”.
De acordo com a análise da amostra representativa do volume de negócios e das exportações, são de facto os pequenos negócios (inferiores a 1 milhão de euros) que descontam os piores indicadores, com vendas no vermelho em 81% dos casos e com exportações (74% das respostas) , grande distribuição (95%) e varejo especializado (86%) em declínio.
Para o dg Veronafiere, Giovanni Mantovani, “é difícil comentar dados cujas causas não refletem o real estado de saúde do vinho italiano, mas sim uma epidemia mundial em que, entre outras coisas, o vinho italiano está pagando metade das perdas em relação aos seus concorrentes . Nosso setor terá todos os fundamentos para recomeçar, desde que – por uma vez – as escolhas sejam unânimes e uma promoção de bandeira seja implementada em linha com a reputação global da marca italiana. Uma comunicação institucional para combinar eventos italianos relacionados com o comércio do vinho no mundo “

Fonte: https://winenews.it/it/nel-2020-solo-unazienda-del-vino-su-10-chiudera-in-positivo-giu-horeca-e-export_430269/

You may also like

Deixe uma resposta

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais

Privacy & Cookies Policy